Arquivo da categoria: informações

DIA 21 DE SETEMBRO – DIA DA DOENÇA DE ALZHEIMER

10548912_835828816441281_2806115140568826522_oDia 21 será um domingo bem especial para nós.

Estão todos convidados a passar no MuBE para participar desta ação que propõe pensar sobre e informar mais a população sobre as questões que envolvem a doença de Alzheimer.

Anúncios

Dica de aplicativos

Estas são algumas dicas de aplicativos que você encontra de graça e pode baixar no seu tablet ou celular.

Clique na imagem para saber mais:

LUMOSITY

unnamed-3

Lumosity  foi projetado por neurocientistas para treinar a memória, a atenção, e muito mais. Com bases no estudo da neuroplasticidade, jogos Lumosity melhoraram trabalhar habilidades cognitivas essenciais em vários estudos.

 

Flow Free

 

images-8

Neste jogo você terá que unir duas bolas da mesma cor formando um caminho sem interrupções. É um jogo que requer noção espacial, pensamento estratégico e criatividade. Tem diversas fases  e dificuldades.

MISTURADINHOS:

misturadinhos

“Misturadinhos”

O objetivo deste “jogo”é formar o maior número de palavras em 2 minutos, é ótimo para trabalhar vocabulário e  agilidade motora.

Os mais avançados podem  jogar c

 

om adversários aleatórios da internet ou  convidar amigos.

Tem opções de outras línguas também.

“Encanador”  

unnamed-1

 

Muito divertido o objetivo é deixar os “canos posicionados . Este aplicativo exercita o  pensamento lógico, estratégia e agilidade.  Possui diversos níveis .

UNBLOCK MEE

images-6O objetivo deste jogo é desbloquear a peça vermelha, como um estacionamento de carros. É um jogo mais difícil com diversos níveis e trabalha noção  espacial, estratégia e pensamento lógico.

MATCH DOTS

images-7É um jogo de ligar os pontos, requer muita atenção pois  cada fase tem um desafio diferente, é divertido porém mais  difícil para  pessoas com o diagnóstico muito avançado.

Quebra-Cabeça

unnamed

Apreciar obras de Arte e seus benefícios.

 

Arte tem efeito positivo em pacientes com Alzheimer

Pesquisa italiana afirmou que visita a obras de arte pode reduzir sintomas relacionados à doença, como ansiedade, apatia, irritabilidade e agressividade

Diversão e arte: pesquisa defende que observar obras de arte atenua sintomas do Alzheimer (Thinkstock/VEJA)

Contemplar obras de arte produz efeitos benéficos para os pacientes com Alzheimer, de acordo com estudo realizado pelo Centro de Medicina do Envelhecimento da Universidade Católica de Roma, em conjunto com a Galeria Nacional de Arte Moderna.

A pesquisa envolveu 14 pacientes com grau leve a moderado da doença e comprovou que admirar a beleza das obras de arte pode reduzir em 20% a frequência de alguns sintomas como ansiedade, apatia, irritabilidade e a agressividade dos que sofrem da doença.

Os pacientes foram guiados pela pinacoteca, onde puderam observar detalhes das pinturas de Paolo Veronese, Domenico Morelli e Giuseppe de Nittis. Depois, foram submetidos a uma avaliação clínica e psicológica, segundo o jornal.

“Os resultados comprovam que visitar museus pode frear os primeiros sintomas da doença”, explicou Roberto Bernabei, diretor do Centro de Medicina do Envelhecimento. “Levar os pacientes a locais onde se mostra a beleza é também uma maneira de comunicar ao doente que ele não está segregado e que embora sua mente vacile, pode continuar sua vida”, explica Bernabei.

Menos stress — “O teste feito antes e depois da visita pela galeria evidenciou uma notável redução do nível de stress, não só em quem está mal, mas também nos acompanhantes”, explicou a geriatra Rossella Liperoti que ressaltou o fato dos efeitos se prolongarem por semanas.

No entanto, não foi comprovada nenhuma influência das obras de arte no déficit cognitivo dos pacientes. Não é a primeira vez que a ciência procura demonstrar a influência positiva da arte em pessoas com algum tipo de doença. O Museu de Arte Moderna de Nova York (Moma) tem um programa de visitas guiadas para incentivar a criatividade em pacientes com Alzheimer.

Números mais recentes da Associação Mundial de Alzheimer contabilizam 40 milhões de doentes e a previsão é que crescimento de 50% até 2030.

 

http://veja.abril.com.br/noticia/saude/arte-tem-efeito-positivo-em-pacientes-com-alzheimer

 

FAÇA MEMÓRIAS

headsite.jpg

O Faça Memórias é um Curso de arte e de estímulo de memória, desenvolvido para idosos com Alzheimer ou com problemas de esquecimento.

Acontece no espaço expositivo e no atelier do MuBE, Museu Brasileiro da Escultura.

Visitas às exposições são especialmente guiadas e elaboradas para fazer das obras de arte expostas, temas de conversas e de estímulo de atenção e memória. No ateliê, diversas práticas artísticas com técnicas e propostas específicas, buscam resgatar a história pessoal e afetiva dos participantes além de garantir a autonomia e qualidade de vida.

O Faça Memórias é ministrado desde 2009 pelas arteterapeutas Cristiane Pomeranz e Juliana Naso.

Pulseiras da PSP para crianças vão servir para localizar doentes com Alzheimer

Usadas com sucesso por crianças durantes os meses de Verão desde há três anos, as pulseiras “Estou aqui”, distribuídas pela PSP para acautelar a localização de menores perdidos, deverão passar a ser também utilizadas por doentes com Alzheimer. A medida está a ser estudada pela polícia em conjunto com a Associação Portuguesa de Familiares e Amigos dos Doentes de Alzheimer

Para ler a notícia na integra clique na imagem abaixo:

870241

curiosidade – ponto de ônibus falso

O que fazer quando um paciente com Alzheimer tem um surto de desorientação e resolve ir pra casa? Sabemos que não é uma possibilidade, mas contestá-lo também não é a melhor das recomendações.
O hospital Dusseldorf, na Alemanha criou um ponto de ônibus falso no estacionamento. Mas como diabos isso ajuda?

Continuar lendo curiosidade – ponto de ônibus falso

Artista desenha auto-retratos durante 5 anos após ser diagnosticado com Alzheimer

Em 1995, aos 61 anos, William Utermohlen, um artista americano que vive em Londres, recebeu um diagnóstico devastador. Ele tinha a doença de Alzheimer. Em resposta a sua doença (ou talvez a despeito dela) ele começou a pintar autorretratos. Eles se tornaram uma maneira do artista tentar entender sua condição.

saiba mais clicando no logo:

logo catraca